O que a maternidade faz de nós…

download
download
Não sou e nem nunca fui uma pessoa má, mas eu sempre tive um grande defeito: julgar demais.
Na verdade vou começar me explicando. Eu sempre achei que para não errar, além de estar pensando em fazer o bem, para aquilo da vida que eu não tivesse referências de como agir, eu deveria julgar. Julgava assim: olha para a vida e ações das outras pessoas, avalio consequências e outras possibilidades de ação, e simplesmente opinava. Consequentemente criticava. Afinal, sempre há uma opção melhor e olhar de fora, realmente nos dá outra visão.
Com o tempo, e a maternidade, descobri claramente que para muito nessa vida de mãe, não há certo e errado. Existe um caminho a seguir, e o melhor é aquele que trilhamos com o coração.
Eu não sou psicologa, mas a minha profissão está ligada a presença de muitas famílias no meu convívio, e também muitos depoimentos, e eu amo isso. Mães, tem afinidades umas pelas outras e quem ainda não pertence a esse mundo irá entender um dia o que estou dizendo. Nós nos tornamos amigas desde o primeiro momento que nos encontramos, e nos adoramos desde o primeiro cumprimento; e eu simplesmente sou grata por isso.
Eu amo minha vida. Claro que é muito pela presença dos anjos que eu trouxe ao mundo, mas especialmente por essa proximidade que a minha vida fez da minha rotina médica. Sempre amei meu trabalho, e usava a distância pessoal das minhas pacientes para me preservar da dor da doença; sim porque nós sofremos com a dor do outro (eu não tive a matéria: como lidar com a morte, ou o que fazer quando não temos o que fazer?). Hoje com a maternidade eu uso isso para a nossa fortaleza, porque eu descobri que a cura para tudo está em ser mãe.
Então, eu descobri que nós não erramos na maioria das vezes. Assim como as dores dos nossos pacientes são únicas e individuais, as escolhas para a maternidade também, não existe certo e errado. E as coisas começam desde a lista de enxoval, e eu extrapolo para a temperatura do banho do bebe, a educação, a decisão de como ensinar o bebê a dormir, a escolha ou não pelo castigo…
Enfim, a maternidade faz de mim a cada dia, uma pessoa de mais paz, porque eu finalmente descobri, que não preciso mais de julgamentos. Tudo o que nós, mães, precisamos é de intuição. O amor é inerente e as nossas escolhas para cada um dos detalhes dessa fase da vida e, ele – o amor, aliado à nossa intuição não nos deixa errar.
Amo ser mãe, e desejo, a cada uma das mulheres do mundo a maternidade. Ela nos dá a força de que precisamos para sermos cada vez maiores e completas. É justamente essa a grande diferença da nossa força para a dos homens – a força que descobrimos e que só a maternidade nos traz.
E isso é só uma parte do que a maternidade faz de nós…
Que bom termos sido as escolhidas por Ele.
#ObrigadaDeus.
Beijos mammys e boa semana a todos.

 

 

Sobre o autor
mammyderma Nascida em Campo Grande - MS, formada em medicina em 2008, especializada em dermatologia em São Paulo - SP. Mãe da Sofia e Valentina. Ênfase em dermatologia pediátrica, oncologia cutânea (FMUSP-SP) e dermatologia estética.
 

Comments

comments